Glossário

Audiodescrição
consiste em uma técnica de narração que descreve de forma clara, com o máximo de detalhes e sem julgamentos as informações visuais, de forma a compensar a falta de percepção das imagens. Para que as pessoas com limitações visuais possam compreender e desfrutar de um evento artístico, social ou cultural.
Braille ou braile
sistema de leitura e de escrita para cegos, em que as letras, os algarismos e os sinais gráficos são representados por uma combinação de seis pontos em relevo, que são lidas com as mãos.
CELIG – Central de Intérprete de Libras e Guias-Intérpretes para Surdoscegos
sistema de comunicação que utiliza terminais de computador e webcam instalados em diferentes pontos dos serviços públicos para que o cidadão surdo possa obter informações, pelo monitor, com a ajuda de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras).
Closed caption (CC)
sistema de transmissão de legendas e tem como objetivo permitir que os deficientes auditivos possam acompanhar os programas transmitidos. Ela descreve além das falas qualquer outro som presente na cena: palmas, passos, trovões, música, risos etc.
Formato Daisy
formato de arquivo digital que permite a gravação em áudio, impressão em braille e em tipos ampliados. Folheador eletrônico – recurso projetado para leitura de livros, revistas e jornais, com um sistema que vira as páginas automaticamente.
Guia intérprete
profissional que serve de canal de comunicação entre a pessoa surdocega e o meio no qual ela está interagindo.
Guia vidente
pessoas que dominam técnicas de orientação e mobilidade com o deficiente visual para acompanhar e garantir que o mesmo ande com segurança.
Intérprete de LIBRAS
pessoa que interpreta, isto é, que estabelece, simultânea ou consecutivamente, comunicação verbal e não verbal entre duas ou mais pessoas que não falam a mesma língua, inclusive a Língua Brasileira de Sinais.
Leitor de tela
é um software que possibilita para a pessoa cega ou com baixa visão o acesso em tempo real de informações disponíveis em um computador e na internet.
LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais)
língua natural da comunidade surda brasileira.
Línguas de Sinais (LS)
línguas naturais das comunidades surdas, com estruturas gramaticais próprias. Não são universais, cada país possui a sua própria língua de sinais, que sofre as influências da cultura nacional.
Livro digital acessível (LIDA)
livro no formato CD-ROM que permite aos leitores com deficiiencia visual o acesso à literatura e oferece recursos para pesquisa, ampliação e áudio.
Lupa eletrônica
consiste em um equipamento com microcâmera que oferece o recurso de contraste e ampliação de textos e imagens que podem ser reproduzidas no computador, televisão ou monitor. Facilitando o acesso a materiais impressos por pessoas com baixa visão.
Mapa tátil
dispositivo que oferece informação e orientação para pessoas com as mais variadas necessidades, como pessoas cegas, surdas ou mesmo com diferentes graus de escolaridade para que se movimentem com segurança, em ambientes específicos, ou possam localizar por via tátil ou sonora locais, caminhos e serviços.
Maquetes táteis
são esboços de obras tridimensionais, reproduzidas em modelo reduzido, que podem ser tateadas, permitindo que pessoas cegas ou com baixa visão adquiram informações relevantes sobre a obra.
Percurso tátil
caminho com utilização do piso podotátil, sinalização em braile e mapa tátil para orientação de pessoas cegas e com baixa visão.
Piso podotátil
é um piso diferenciado com textura e cor em contraste com o piso em que é sobreposto. Facilita e torna mais seguro o deslocamento de pessoas cegas e com baixa visão.
Open Caption
são legendas abertas, ou seja, estão expostas permanentemente e não são um recurso opcional como o closed caption.